domingo, 28 de maio de 2017

Participação da equipa (Assentis)

Representação a cargo de:
35km - José Silva

O Superfresco BTT Team levou a cabo mais um passeio/raid no passado dia 28 de maio na localidade de Assentis em parceria com o CRCSA – Assentis.



 Evento  com duas distâncias a percorrer, passeio com 35 Km de dificuldade 3(5) com algumas zonas a exigirem alguma técnica e outro de 50 Km com dificuldade física 4 em (5) e dificuldade técnica similar ao da distância mais curta – andamento livre.



Optei pelo percurso de 35 Km que se desenvolveu-se sobretudo em contacto com a natureza a Este do PNSAC e com altimetria 650 m.









Mais uma vez as condições climatéricas adversas nos dias anteriores adivinhavam dificuldades acrescidas, mas ao contrário do que seria de esperar, o piso encontrava-se em perfeitas condições. 




Percurso bem marcado com fitas e cal no pavimento, com singles a que a organização nos habituou em edições anteriores, elementos da organização colocados nos locais de travessia de asfalto, abastecimentos bem colocados.



Os trilhos do PNSAC dispensam comentários (pedra, pedra e mais pedra). No que respeita aos banhos, as instalações tinham as condições mínimas, água quente e espaço. 



Em relação ao almoço, não usufrui. Classificação em 9º da geral com o tempo de 01h53m.  Como não tenho foto do meu pódio, fica a do pódio feminino.


Track dos percursos IV Raid Superfresco Assentiz: Raid 50km / Raid 35km

001.º - 01:42:15 - André Pereira (Ultra Pedal)
002.º - 01:46:18 - Ricardo Freire (Transfor - Fátima BTT)
003.º - 01:49:37 - Leandro Brito (G. C. Barquinhense)
009.º - 01:53:33 - José Silva (Clube de BTT Zona 55)
208.º - 02:58:53 - Último

ÁLBUNS FOTOGRÁFICOS
Urbina Varela - Álbum 2

Créditos à reportagem
Texto: José Silva
Fotos: Urbina Varela

domingo, 14 de maio de 2017

Participação da equipa (Santa Cita)

Representação da equipa a cargo de:
35km - José Silva



Realizou-se no passado dia 14 de Maio a 4.ª Edição do Raid Btt Rota dos Falcões, na localidade de Santa Cita, concelho de Tomar, evento que este ano integrou o troféu BTT Ribatejo Norte, com duas distâncias a percorrer, Mini Raid com 35km e Raid com 55km. 


Local de partida (e chegada) na zona da Associação Cultural e Recreativa de Santa Cita, onde estava montado o secretariado, o espaço destinado ao almoço e  banhos (nos balneários do pavilhão desportivo). A minha inscrição foi para a distância do Mini Raid de 35 kms.


 Partida dentro do horário previsto, com saída e entrada em piso de terra passados poucos metros, com a primeira subida em asfalto já fora da localidade e até à entrada novamente e a surgir o primeiro single com cerca de 3 km's.


Com condições climatéricas adversas alguns dias antes, a deixar o piso um pouco pesado em algumas zonas, esperava-nos uma prova tecnicamente exigente com alguns singles fabulosos. 



O percurso com cerca de 35 kms, apresentava uma altimetria cerca de 700m, mas algo exigente tecnicamente a nível do piso com single track's de cortar a respiração com pontes de madeira e travessia de ribeiras pelo meio, bem marcado com fitas, marcação no pavimento e placas bem visíveis nas zonas de perigo, elementos da organização colocados nos locais de travessia de asfalto, abastecimentos bem colocados. 






De salientar a prova não correu como previsto para os concorrentes que seguiam na frente, uma vez que, onde deveríamos seguir em asfalto, cortámos à esquerda para o último single, onde deveria estar alguém da organização a indicar-nos a direcção certa. Conclusão, o engano fez com que regressássemos à partida perdendo bastante tempo com a ultrapassagem aos concorrentes mais lentos, sobretudo no single mais longo. Para muitos a prova terminaria ali mas, ainda assim, resolvi continuar e minha decisão levou-me ao lugar mais baixo do pódio do escalão.  



 Em relação ao almoço, não tenho comentários porque  a inscrição não incluia. Em relação aos banhos, as instalações tinham as condições mínimas, água quente e espaço. Em relação à minha prestação, classifiquei-me em 22º lugar da geral do mini raid e 3º do escalão Vet. C com a distância percorrida de 37 Km em 2h10m. 

CLASSIFICAÇÕES GERAIS
001.º - 01:46:01 - Fábio Silva (Roda Livre Cartaxo Team)
002.º - 01:46:06 - Nelson Manique (H. C. Turquel/Carnes Valinho/Valsabor)
003.º - 01:47:36 - André Pereira (Ultra Pedal)
022.º - 02:10:49 - José Silva (Clube de BTT Zona 55) 3.º Vet. C
219.º - 05:01:26 - Último

Créditos à reportagem
Texto: José Silva
Fotos: António Lemos, Casais Lagartos Bike Team, Susana Faria, Urbina Varela

domingo, 30 de abril de 2017

Participação da equipa (V. N. Barquinha)

Página do evento
Representação a cargo de:
40km - José Silva
60km - João Valério

Mais uma edição do Almourol à Vista se concretizou, organizado pelos nossos já "velhos" amigos do G.C.B. onde uma vez mais marcámos presença, o José Silva nos 40km e eu (João Valério) nos 60km. 

 Chegámos cedo ao local, pois a lista de inscritos informava que estariam em prova cerca de 800 bttistas. O tempo estava péssimo, com chuva e vento à mistura. O levantamento dos dorsais foi rápido perante tão elevado número de pessoas, só as casas de banho eram poucas para tanta gente a querer largar lastro antes de arrancar.

O enorme pelotão espalhou-se pela estrada fora junto à entrada da Escola de V. N. Barquinha e enquanto alguns já esperavam há mais de 30 minutos pela partida, muitos outros continuavam a chegar para se juntarem a nós.

Incrivelmente o tempo foi melhorando e a chuva acalmou. O nosso fotógrafo de serviço, Jorge Rabaça, que foi o primeiro a chegar ainda não eram 06h00, ia dando luta ao vendaval e sacando fotografias disparando a sua objetiva para tudo quanto era lado.

 A partida foi dada a horas e lá partimos para nos fazermos aos trilhos e percurso amplamente divulgados pela Organização e que, prometiam mais uma vez exigir tudo de nós, tanto a nível físico quanto técnico.


 O arranque foi rápido, mas cuidadoso, devido ao emaranhado de tanta gente. Logo a cerca de 1km após o arranque ocorreu uma queda com 3 a 4 envolvidos ainda em asfalto. A extensão total em alcatrão foi de cerca de 2km, após o que saímos da Vila e começámos de imediato a empinar.



 Começámos cedo a subir, escassos minutos após arrancarmos, mas apesar de rolarmos um bom bocado em alcatrão, por estar frio e alguma chuva, não foi o suficiente para aquecer os músculos para o que nos esperava adiante.

 O pelotão lá ia seguindo bastante coeso e bastava um lá na frente parar num single track para que de imediato surgisse uma enorme fila de gente.

 À semelhança das edições anteriores, o percurso esteve muito bem marcado, com fitas, placas e até pó de pedra no chão, apesar de grande parte dele haver sido diluído pelas chuvas da madrugada e manhã. Com o passar do tempo a chuva foi desaparecendo de vez, apesar do sol não brilhar, mas o problema maior foi a lama que nos impingia atravessadelas da bicla. 

O abastecimento maior, ainda no decorrer do percurso comum, foi na localidade de Praia do Ribatejo, onde as mesas estavam postas como se de um casamento se tratasse, o que não foi suficiente para fazer parar qualquer um dos atletas da nossa equipa. 




Após passarmos pelo interior do perímetro militar de Tancos, na Escola Prática de Engenharia, embicámos definitivamente para o Castelo de Almourol, ícone maior militar português, onde havia bastante público a assistir à passagem dos atletas. 




Já próximo à povoação de Tancos e após realizarmos e passarmos os diversos tracks e pontes construídas na ribeira, veio finalmente a divisão de percursos sensivelmente ao km40, onde ainda me sentia com algum folgo, o que não durou muito face aos contínuos sobe e desces que se seguiram.   


O percurso final de cerca de 5km até à linha de meta eram para fazer a fundo, pois restava-nos apenas alcatrão e algumas extensões em terra batida sem dificuldades.

Terminei bastante abaixo das minhas expetativas, ainda assim a 3/4 da tabela, resultado do meu atual extra-peso e pouco treino. Já a minha Cannondale portou-se lindamente e o prato único ajudou a minimizar problemas de transmissão. 

O José Silva esteve mais uma vez ao mais alto nível, ao conseguir novo pódio na categoria >50 anos. Relativamente ao almoço, nenhum de nós ficou para almoçar, nem tão pouco para tomar banho e o mais engraçado foi que nunca vi o José Silva ao longo de todo o evento, nem fora dele. No próximo ano contamos regressar para mais uns trilhos no nosso quintal, sempre bem recebidos pelo G.C.B..


CLASSIFICAÇÕES GERAIS
001.º - 01:43:50 - Leonardo Marcelino (Róódinhas/Santos Silva)
002.º - 01:43:56 - Hugo Moreira (GCB/Pódio)
003.º - 01:43:57 - Dário Pereira (Ribabike)
018.º - 01:55:32 - José Silva (Clube de BTT Zona 55) / 1.º Vet C
531.º - 05:23: 40 - Último

001.º - 02:50:33 - Gil Gonçalves (Róódinhas/Santos Silva)
002.º - 02:53:07 - Paulo Santos (Róódinhas/Santos Silva)
003.º - 02:54:10 - César Piedade (Ofimoto/RVirtual)
081.º - 04:06:04 - João Valério (Clube de BTT Zona 55)
116.º - 05:30:49 - Último

Track da 10.ª Maratona btt Almourol à Vista


ÁLBUNS FOTOGRÁFICOS

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...