sábado, 30 de maio de 2009

Participação da equipa (Viana do Castelo)

Para aceder ao site da Organização clicar no título desta mensagem.
Marcou presença: João Valério (40kms + 10)
Classificação Geral Provisória 40kms (50kms percorridos) :
001.º - 02H18 - Rafael Cruz (Barroselas Bike Team)
050.º - 03H31 - João Valério (Zona 55 Bike Team)
084.º - 03H58 - Liliana - 1.ª Classif. Feminina - (Terras do Vez)
256.º - 06H35 (último)
Dezenas de desistências e desclassificações... aguardam-se dados finais da Organização.
Cheguei a Viana do Castelo ao final da tarde do dia anterior ao evento, tendo o GPS do Nokia 6210 Navigator ficado aprovado ao levar-me direitinho até ao local da dormida (Pousada da Juventude a funcionar no interior do antigo Navio-Hospital Gil Eannes).

Ainda tive oportunidade de encontrar no local onde iria ser dada a partida, 3 colaboradores da Organização que ultimavam os preparativos e foram bastante úteis e prestáveis a fornecer informações relacionadas com locais e horários pré-definidos na realização do evento.

Manhã do dia do evento: despertar às 08H00, seguido de aquecimento na bicla pela zona das docas até cerca das 09H10.

Pelas 09H20 entrei no parque fechado reservado aos mais de 600 participantes, cuja hora de fecho estava marcada para as 09H30. Aqui a Organização cometeu a 1.ª falha ao permitir entradas além da hora estipulada, o que me pareceu ser o motivo do atraso da prova, isto porque já passava das 10H00 e ainda pude ver automóveis a passar com bicicletas nas respectivas calhas, ainda para irem participar. No parque fechado foram disponibilizadas 6 bicicletas estáticas para os participantes que quisessem aquecer. Gostei! 30 minutos a aquecer.

A partida foi dada cerca das 10H30 já com muitos a reclamar. Apesar do atraso, para além da hora ainda foi efectuado um sorteio de 3 prémios e um aquecimento localizado ministrado por um monitor e "sus muchachas". Francamente não havia necessidade... o pessoal já estorrava com a temperatura a rondar os 30º.

Finalmente a tão desejada partida...


O início desenrolou-se em direcção ao monte da St.ª Luzia, após o que se continuou a subir... durante 16kms. Apesar da maioria dos participantes haver levado líquido suficiente, não invalidava a Organização de colocar um abastecimento de água durante ou no final da dura subida, face ao calor que já se fazia sentir.

Zona próxima à passagem de asfalto/terra (rocha).

Primeiro apear. As rochas e o terreno algo derrapante não foram ultrapassados por alguns atletas que obrigaram os que seguiam atrás a imitá-los.

Durante a subida os trilhos eram de uma beleza ímpar.

Aqui vou eu a chegar à zona das eólicas.



Ao fundo na foto, pode ver-se uma manada de cavalos que pastavam em liberdade. Faltou saber se mansos ou selvagens.


1.ª zona de controlo, após uma descida técnica em single-track. Espectacular!


1.ª ZA aos... 25kms! As dificuldades para chegar até aqui com o calor e consequente desidratação que se faziam sentir foi para muitos um verdadeiro sacrifício. Eu ainda tinha líquidos que escassos metros antes partilhei com um atleta que havia perdido o bidon logo na 1.ª subida, no entanto parecia mais caldo-verde. Melhor que nada.

Finalmente foi possível reabastecer de líquidos e comer uma fruta. Após cerca de 1km tive o meu único contra-tempo: a corrente saltou da cassete enfiando-se entre esta e a roda o que me fez perder cerca de 5/10min.

Quando o conta-quilómetros marcava cerca de 34kms, foi com alegria que muitos passantes durante uma subida bem longa ouviram o correr de um riacho. Com o calor que já devia rondar os 35º, o relógio a marcar 12H30 e os músculos a parecem querer rasgar por completo, comecei a sentir caímbras (o que foi a 1.ª vez que me aconteceu desde que pratico btt).
Houve bastantes participantes que tal como eu aproveitaram para atestar os bidons de água bem fresca e até tomar um banho dentro das pequenas poças formadas pelo riacho.


Já na descida, bastante dura por sinal, com rochas, pedras e calçada romana, única foto que captei. A existência de 2 fitas amarelas mal colocadas levaram à paragem completa do grupo de 8 que acompanhava, sensivelmente a meio da descida, para verificarmos qual o trilho correcto a seguir, após o que foram devidamente colocados por alguns atletas para que outros ali não voltassem a enganar-se. A poucas centenas de metros abaixo, após uma curva em cotovelo à esquerda e em rocha, deparámo-nos com uma enorme cratera no centro do trilho, não sinalizada, que era uma autêntica armadilha.
Após o conta-quilómetros já haver marcado 40kms há alguns quilómetros atrás, a meta nem vê-la. Durante a descida e após entrar em zonas habitacionais por vezes a mais de 50km/h, passava-se por algumas intercepções sem ninguém da Organização... uma autêntica aventura! Ao chegar ao nível do mar, fomos ainda "brindados" com cerca de 5kms em patamar de enpedrado. Os braços já estavam quase que a despegar-se do tronco.

Já na linha da meta na companhia de um outro atleta a quem me colei nos últimos 6kms. No entanto na classificação disponibilizada até ao momento foram-me cronometrados 8 seg. de diferença atrás deste amigo, quando chegámos juntos conforme se pode confirmar! Por aqui já dá para desconfiar dos restantes tempos...

Antes do almoço, foi com dificuldade que face à pouca informação disponível nas ruas consegui descobrir o local dos banhos, ainda para mais com os desvios que haviam colocado.

O almoço foi, se comparado com outros de eventos até supostamente inferiores, uma barracada, no verdadeiro sentido da palavra. As tendas montadas pelo exército mais pareciam uma sauna no seu interior. Para terminar devo dizer: NÃO ME VOLTAM LÁ A APANHAR nestas condições. Valeu pelo convívio, entre-ajuda, trilhos bonitos e lembranças.
Fotos e texto: João Valério

Treino Semanal: Mato Miranda

Bom Tempo e Fraca Adesão: Eis um resumo.
A nível de fotos voltámos a ter a infelicidade de não ter-mos a sorte do nosso lado. Estiveram presentes: Rui Almeida, Abílio Bernardo e José Santos. Neste treino dirigimo-nos para Mato Miranda, Paúl do Boquilobo e Brogueira, totalizando 38kms percorridos, sempre em cruise control. Esperamos ter mais aderentes nas próximas semanas, o tempo está propício.

Foto: Rui Almeida. Texto: João Valério

domingo, 24 de maio de 2009

Participação da equipa (Tomar)

Marcaram Presença (c/ o respectivo n.º dorsal entre parêntises p/ melhor identificação nas fotos):
35kms:
Pedro Silva (148), João Valério (146), José Santos (152), Rui Almeida (149), *Rui Lopes (166), *Pedro Branco (167), Tiago Matos (164), *Dinis Moço (168), *Ismael Duarte (159), Carlos Moita (156), João Guerra (172), *Paulo João (173)
10kms:
*Sofia Lopes (147), *Ana Almeida (150), José Abrantes (160), José Luís Rosa (165), *Diogo Lopes (158), João Abrantes (161), *Inês Abrantes (162), Carlos Matos (163), *André Matos (176), *Nuno Santos (170), Carlos Lopes (157).

*Elementos convidados em representação da equipa.

Foto do grupo (faltam 4) presente neste evento junto ao desgraçado do animal que iria ser servido ao almoço. A maior representação de sempre em eventos "fora de portas" da Zona 55 Bike Team, com 12 elementos efectivos.

Momento de agarrar nas biclas para nos deslocarmos para a zona de partida.

"Vamos embora, está na hora!"

O tempo estava muito nublado e ameaçava chover a qualquer momento... os participantes interrogavam-se: Vestir ou não vestir o impermeável?

... e lá foi dada a partida simbólica, após umas breves indicações dadas pelo Paulo Albino.

O início simbólico serviu para nos encaminhar-mos até junto às instalações recém inauguradas da Secção e Esquadra de Tomar da P.S.P..

Os participantes rondaram cerca da centena e meia.

O pequeno André Matos estava impaciente...

O senhor Comandante Distrital da P.S.P. de Santarém, Intendente Luís Simões, fazia uso da palavra para dar as boas vindas a todos quanto marcaram presença, apesar do tempo instável.

E após ser dada a partida oficial, os participantes de ambas as distâncias (10 e 35kms), lançaram-se ao ataque dos trilhos.

Após uns escassos 4kms encontrava-se uma bonita passagem sob o Rio Nabão.

Tornava-se quase impossível não ver um equipamento da Zona 55 ao longo dos percursos.

Os mais novos também não se fizeram rogados à travessia.

Após a passagem era imperativo apear para quem ainda teimava em não fazê-lo.

Poucos metros à frente já se encontrava o 1.º abastecimento, dirigido essencialmente aos atletas dos 10kms. Era também aqui que havia a separação de ambas as distâncias.

Num ambiente bastante descontraído e familiar, ia-se desenrolando o passeio dos 10kms.


Aqui, a Inês Abrantes liderava o pelotão ao mesmo tempo que gritava para o condutor do veículo policial acelerar porque o ritmo era muito lento...

Noutra fase, o André Matos e o Diogo Lopes tomaram a liderança.

Já a escassos metros do final da distância dos 10kms, que se revelaram ser um pouco menos.

Entretanto... no percurso dos 35kms começavam os problemas! As marcações escasseavam transformando o passeio marcado em guiado.

Os participantes, que entretanto iam fracturando o pelotão em pequenos grupos, ia-se guiando pelos rastos dos mais adiantados.

Até havia tempo para tirar umas fotos...

Entrando numa das zonas mais invulgares do percurso.
O trilho serpenteava subindo pelas paredes da antiga pedreira.

As nuvens haviam desaparecido e o sol finalmente apareceu, que em conjunto com as subidas íngremes íam fazendo as gotas de suor deslizar pelas faces.

Na cabeça do passeio atingia-se uma subida salpicada por troncos e ramagens de eucaliptos.

Após novo engano devido às deficitárias marcações, os pequenos grupos de atletas voltavam a fundir-se em grupos mais numerosos.

Apreciava-se o Rio Nabão...

... e um grupo de canoístas que passava.


O chamamento para o trabalho rural era enorme!

E aí estava a 1.ª ZA dos 35kms. Por sinal excelente. Pães chouriço (enormes), águas, fruta e até umas "mines". Na foto o João Guerra.

O pessoal curtia o momento. Na foto Valério e Chamusco.

Na foto Rui Almeida e José Santos.

Na foto Pedro Silva e Luís Moço.

De volta aos trilhos o Pedro Branco curtia a terra batida.

Rui Lopes numa zona de passagem pedonal.

O quarteto Carlos Moita, Pedro Silva, Rui Lopes e Pedro Branco, a escassos 2kms do final, enganaram-se no trilho e tornaram a atravessar a ponte... só para o Carlos dar um mergulho!

Finalmente atingia-se o final, apesar da dificuldade em encontrar o percurso certo!


Foto parcial do grupo Zona 55 que esteve presente neste evento, após o almoço.
Já após o almoço, fomos forçados a abandonar o local da refeição (Parque de Campismo de Tomar) para ir-mos beber um cafézinho, pois a Organização esqueceu esse pequeno pormenor.

Em jeito de conclusão damos os parabéns à esforçada Organização, instituições e empresas apoiantes! O almoço foi excelente, o percurso espectacular, as marcações insuficientes, a recepção aos atletas calorosa e o apoio humano suficiente. Pontuação de 12345.

Fotos: José Abrantes, João Valério, Rui Almeida e Pedro Silva. Texto: João Valério

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...