domingo, 4 de maio de 2014

Participação da equipa (Estremoz)

Representação a cargo de:
50km - João Valério

Mais uma vez rumei a Estremoz para participar no Estremoz Bike! Foi a minha terceira participação consecutiva nesta que foi a 5.ª Edição deste evento, porém este ano não tive companhia da equipa para pedalar, mas fui acompanhado da Sofia Lopes (Zona 55 Bike Team) e do Pedro Pires (Fôjo-Zybex BTT Team) que também competiu na distância de 50km.

Também à semelhança dos anos anteriores, quero agradecer a gentileza ao Comandante da Esquadra da P.S.P. de Estremoz, por nos haver disponibilizado estadia e assim, além de pouparmos uns trocos também nos evitou ter de fazer uma viagem de 100km no dia da prova, dormindo assim em Estremoz a escassos 300m da zona de partida.

Mais uma vez a praça central de Estremoz se encheu de bttistas, vindos um pouco de todo o país, mas em especial da zona sul. Também muito público presente num fim de semana em que também se encontrou a decorrer a FIAPE - Feira Internacional de Agropecuária de Estremoz, que ali fez levar igualmente muita gente.

Também pelo 3.º ano consecutivo voltámos a revalidar a parceria de divulgação deste evento entre a Zona 55, a revista desportiva "O Praticante" e a Organização. Como chegámos no dia anterior encontrei um Secretariado muito bem organizado e fluído, este ano a funcionar em instalações separadas para atletas federados e atletas não federados, uma vez que cumulativamente foi a 3.ª Prova da Taça de Portugal de Maratonas XCM.

À partida estiveram presentes cerca de 1100 atletas, sendo 440 federados e os restantes não federados. 


Na companhia do Pedro Pires (Fôjo-Zybex BTT Team), na manga de partida já após havermos feito o controlo 0.

Foram dadas diversas partidas de acordo com as boxes onde cada categoria se encontrava, tendo primeiro e naturalmente partido os atletas federados, nas diversas categorias e só depois os não federados.


A partida na distância onde competi foi dada sensivelmente à hora marcada e os primeiros quilómetros foram percorridos pelas mesmas estradas do ano anterior. Poucos metros após o arranque ocorreu o primeiro estrangulamento do dia na passagem sob um dos arcos de passagem rodoviária de acesso a Estremoz, mas após isso a estrada asfaltada teve largura e distância suficiente para começar a esticar o enorme pelotão.


A minha missão passou, além de seguir em ritmo de competição moderado, por captar também imagens da prova onboard com a minha GoPro, o que naturalmente não é fácil, levando a que tivesse de fazer diversas paragens para captar passagens e paisagens sob ângulos distintos que não tão somente a partir do fixador no avanço do guiador.


O maior grosso do pelotão seguiu unido durante mais de 10km, por asfalto e terra batida, onde se impunha bastante atenção e discernimento. 

O tempo esteve bastante agradável, quase sempre com uma brisa fresca e sol não muito intenso.


Atingimos a primeira zona de abastecimento com alguma rapidez. Aqui, à semelhança das restantes za's que se seguiram, fomos brindados com bastantes alimentos (frutas, bolos, sandes...) e líquidos, com elevado número de elementos do staff a garantir de que tudo corria bem.


Nos 50km as dificuldades estiveram colocadas entre o km12 e o km30, onde tivemos diversos sobe e desces, alguns bastante desgastantes pela Serra d'Ossa - porque o Alentejo não é só planícies, mas igualmente zonas técnicas bastante interessantes de cumprir. Na segunda metade tivemos mais espaço para recuperar o fôlego e dar uso à talega.



À semelhança de edições anteriores, voltámos a testemunhar bonitas paisagens, pois o percurso esteve mais uma vez excelentemente bem desenhado.


Mais uma vez fui feliz, pois sofri quaisquer quedas e a minha Jorbi portou-se lindamente, nem problemas técnicos nem avarias.


As marcações no terreno estiveram soberbas, com fitas, cal, sinalização vertical, staff, autoridades, enfim... não havia como enganar. Ao longo de todo o percurso era difícil percorrer 500m sem que se visse alguém ou sem companhia de outros participantes.

Esta foi uma das zonas onde parei por alguns segundos para com a  GoPro captar alguns destemidos a ultrapassar este bonito single descendente.



Uma das passagens mais bonitas junto a uma represa, onde vontade de mergulhar não me faltou.

Este ano contei menos pontes que na anterior edição, mas as que encontrei estavam bonitas e bem fixas (eh eh), mas vi mais uma vez bastante trabalho no terreno, nomeadamente em limpezas e embelezamento de trilhos rurais.


Os últimos 5km foram idênticos aos da edição de 2013. Subimos por entre vinhas até à inclinada subida que nos leva à ponte levadiça, para depois de estar no interior das muralhas da cidade em chão de calçada, ladearmos o castelo por um single track em terra batida e novamente voltar ao asfalto onde após uma curta subida, embalámos numa rampa em calçada para o asfaltado piso de cerca de 300m da reta da meta.   


À chegada uma lembrança alusiva ao evento, com a imposição de uma medalha de finisher realizada em cortiça.

Este ano o almoço foi num local diferente, porém tão ou mais competente que o do ano anterior, pois almoçámos nas bonitas instalações do Páteo dos Solares. O almoço esteve divinal, com um excelente serviço e boa recepção. Só vos posso dizer que este evento atingiu de tal forma um nível de qualidade que já se torna difícil conseguir superar-se a si próprio, sendo um digno anfitrião da cidade de Estremoz.

ÁLBUNS DE FOTOS
Photoshot - Digital Photography


001.º - 02:14:08 - Rui Carvalho (Bicicletas Santiago)
002.º - 02:15:09 - Sérgio Gaspar (20km Almeirim)
003.º - 02:19:11 - Rui Godinho (Pedalsempre/Movenotícias/Cortec)
277.º - 03:43:26 - João Valério (Zona 55/O Praticante)
424.º - 06:35:21 - Último


Vídeo-rescaldo Zona 55


Vídeo-rescaldo BTT TV

Reportagem passada na RTP2 - Clicar

Créditos à reportagem:
Texto: João Valério
Fotos: Associação Mosinho Aventura, Farias Bike Twor, Organização, BTT TV, Photoshot - Digital Photography e Zona 55.
Vídeos: BTT TV e Zona 55.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...