sábado, 22 de junho de 2013

Participação da equipa (Abrantes)

Representação a cargo de:
David Gonçalves e João Valério

Este ano tivemos uma representação um pouco mais fraca que em 2012, mas igualmente grandiosa, senão mais importante, pelos resultados obtidos e trabalhos realizados a nível de recolha de material jornalístico. Uma coisa foi certa, este ano chegámos a tempo e horas!

 Na foto, o grupo de amigos, da esquerda para a direita: David Gonçalves (Zona 55), António Almeida (BinTTage), João Valério (Zona 55) e José Silva (representando neste evento "O Praticante").

Conforme a 1.ª Edição, mais uma vez a concentração e zona de partida esteve localizada na Praça Barão da Batalha, que detém condições excepcionais para o público enquanto assistência se juntar, pois além da enorme esplanada do conhecido Café Chave D'Ouro, tem também bancadas em pedras e um longo passeio numa zona altiva que permite excelente visibilidade.

 A animação na zona de partida foi magnífica, não só pelo som ambiente das potentes colunas ali montadas, mas também porque nos permitiu rever amigos do btt e colocar conversas em dia rodeados de um público muito divertido e ansioso. Na foto com o amigo Zé Milhas.


Finalmente, após um atraso de mais de 30 minutos face ao previsto, que segundo a Organização foi devido a haver decorrido durante a tarde dois outros eventos distintos cujos respectivos staff's não conseguiram recolher os equipamentos a tempo, lá foi dada a partida... mas ainda assim com luz do dia, conforme definido.


O percurso foi em grande parte semelhante ao da 1.ª Edição, aproveitando ao máximo as artérias do centro da cidade e numa extensão total de aproximadamente 5km. As alterações encontrá-mo-las primeiro no jardim que envolve o castelo, onde este ano havia uma zona curta de escadas de degraus largos mas em cotovelo, as outras diferenças foi a diferente forma de serpentear pelo centro histórico onde se escolheram algumas artérias diferentes e noutras as percorremos em sentido inverso ao de 2012. Na minha perspectiva resultou num trajeto bem mais rápido, a confirmar pelo total de voltas conseguidas pelo vencedor deste ano (o mesmo, João Pereira), a completar 15 voltas (menos 1 que na 1.ª Edição).

 O David, logo desde o início, apesar de ter tido uma partida algo lenta, tinha como objectivo o pódio na categoria Master C (+50 anos). Volta após volta, com ritmo e tempos equivalentes, foi cimentando uma boa prestação, sem cometer grandes erros, apesar da sua vertente mais fraca enquanto bttista ser a técnica, as dezenas de anos enquanto ciclista de estrada supriram esse handicap.



O público afluiu em grande número e arrisco mesmo a afirmar que esteve mais gente a assistir que em 2012, aquando a 1.ª Edição. Muitas pessoas ao longo de todo o percurso, desde o início até ao final (já noite), aplaudindo e puxando pelos seus atletas preferidos. Vimos muitos de pé e junto às fitas de marcação ou gradeamentos, sentados em esplanadas, bancos de jardim ou mesmo nos degraus de entrada de habitações.


Na zona do percurso localizada junto ao Café "O Alcaide", onde se manteve uma curva em cotovelo para um degrau e que se atacava num ângulo difícil de não fazer resvalar a roda traseira. Sem dúvidas um ponto que deveria este ano ter sido melhorado.


A segurança do percurso esteve muito bem, onde toda a extensão se encontrava marcada e com elementos do staff a auxiliar na segurança às zonas que se previam mais complicadas face ao cruzamento com peões, entradas em estabelecimentos comerciais e/ou habitações. Quanto ao trânsito, esteve pura e simplesmente cortada toda e qualquer circulação rodoviária para as artérias que fizeram parte do percurso de prova.



Este ano e tal como em 2012, manteve-se a idílica passagem por dentro do Castelo, uma das zonas do trajecto mais bonita e interessante.




Uma zona de passagem igualmente bonita pelos jardins existentes e vista sobre o Rio Tejo. 



Com o cair da noite impôs-se ligarmos as luzes (frente e traseira), conforme obrigava o Regulamento da prova, tornando o evento ainda mais interessante e espectacular.


A cronometragem/contagem de voltas esteve este ano a cargo da mesma empresa, que segundo me pareceu cometeu menos erros nos resultados publicados e captura de tempos.




Muitos foram os fotógrafos (particulares) que este ano colaboraram com a Organização (Fôjo-Zybex BTT Team) além das empresas que cobriram o evento com vista à venda do seu trabalho, captando fotos (muitas delas de grande qualidade) e partilhando gratuitamente na internet para que todos os interessados pudessem descarregar as fotos que entendessem.



Este evento terá publicado um artigo de rescaldo na revista desportiva "O Praticante", a sair na edição n.º 51, em distribuição a partir do início de Agosto. Esta reportagem terá algumas das fotos por nós consideradas como entre as melhores que captaram o espírito deste evento, a não perder.


Nesta prova, também à semelhança da edição anterior, participámos com o nome de equipa Zona 55/O Praticante, mediante parceria realizada entre os nomeados e a Organização, no que diz respeito à cobertura mediática do evento.


Este foi o evento que marcou a apresentação pública à alteração aos patrocínios no nosso jersey oficial, onde nas mangas o nosso ex-patrocinador RHC Motos/Bikes, foi substituído pela D'Maker (manga direita) e BV Sport (manga esquerda).


Problemas mecânicos (transmissão) e físicos (tendões de Aquiles), levaram a abandonar a prova após a 6.ª volta e mesmos estas 6 foram em ritmo lento, o que me permitiu captar mais imagens e sob melhores ângulos para o vídeo que fizemos.


A zona prevista/autorizada para assistência particular e oficial do evento esteve este ano mais bem disposta no espaço a ela reservado, resultando menos confusão quando os participantes se iam encostando para abastecer.


Foi já muito perto da meia-noite que terminou a prova, numa noite que esteve quente e propícia a um evento deste nível e características, o qual sem dúvidas promoveu a cidade de Abrantes não só junto de bttistas, como também de visitantes que ali se deslocaram propositadamente para assistir.

Uma situação algo embaraçosa foi mais uma vez a distância a que se situavam os balneários (cidade desportiva), a cerca de 3km de distância, o que obrigou a uma deslocação demorada e que tirou alguma animosidade final. Após o terminar da prova e banhos, foram disponibilizados pães com chouriço, caldo verde e bebida (incluídos na inscrição), nesta edição com melhor localização face ao ano anterior.

 A noite terminou para nós em euforia com o 3.º lugar do pódio conseguido pelo David Gonçalves, que conseguiu este ano alcançar o objectivo de se destacar entre a classe Master C (+50 anos).

O digno representante do Fôjo-Zybex BTT Team, "Bifa", a fazer as honras na entrega das medalhas aos vencedores Master C. O David a falhar-nos na sua apresentação no pódio, tendo-se esquecido de envergar as nossas cores... talvez fosse do nervoso do momento ou na correria aos balneários e voltar a tempo.


001.º - 15 Voltas (23:36:23) - João Pereira (Jorbi Test Team)
002.º - 15 Voltas (23:36:28) - Nuno Inácio (EvoNutrition)
003.º - 15 Voltas (23:41:29) - Rui Galinha (Haibike/Soniturismo)
017.º - 13 Voltas (23:46:33) - José Silva (O Praticante)
044.º - 12 Voltas (23:40:21) - David Gonçalves (Zona 55/O Praticante), 3.º Master C
155.º - 06 Voltas (22:55:33) - João Valério (Zona 55/O Praticante)
171.º - 02 Voltas (21:07:56) - Último
VÍDEO-RESCALDO

Créditos finais
Texto: João Valério
Fotos: Sofia Valério e Sérgio Vicente (Zona 55), Urbina Varela, Dércio Dias, José Batista (ABTFoto), Foto Mendes, Organização (Fôjo-Zybex BTT Team)
Vídeo: Outdoor Films (Zona 55)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...