domingo, 24 de abril de 2016

Participação da equipa (Vila Nova da Barquinha)

Representação a cargo de:
60km - David Gonçalves
40km - João Valério, José Silva

Mais um ano se passou e mais uma vez a Zona 55 marcou presença na Maratona Almourol à Vista, desta vez a 9.ª edição. Estiveram presentes em representação da equipa: 3 participantes + 1 fotógrafo + 1 apoiante. Eh eh.

O secretariado abriu bem cedo, mas antes disso já o nosso repóter Jorge Rabaça por lá andava a tirar fotos e a fazer vídeos.

O Samuel Nabiça foi de fininha até à zona de partida para apoiar os que de nós iriam participar. Este ano todo o paddock mudou de sítio, para o interior de V. N. da Barquinha ao invés da Moita do Norte., como aconteceu nos últimos anos desta competição.

O David Gonçalves foi o último a chegar, mas pudera, foi o veio de mais longe. Ainda assim veio bastante a tempo.

O ambiente na manga de partida esteve bastante animado e este ano tivemos direito a sol depois de umas semanas de chuva, mas os trilhos adivinhavam-se lamacentos. 


A partida foi conjunta para ambas as distâncias. Eram mais de 750 bêtetistas a lutar por um espaço nas primeiras centenas de metros. Que loucura! Bastante intenso e divertido. 


Ao fim de 2km estávamos no centro de V. N. da Barquinha, o pelotão circulava agora a uma velocidade impressionante de 36km/h, mas ninguém queria ficar para trás, ia tudo doido e cheio de adrenalina!


 Finalmente na terra batida ao km5 começavam as confusões. Muita gente, o terreno enlameado e escorregadio, patinanços, apertos, água, um fartote!

 
Depois de me safar do enorme pelotão de centenas de ciclistas, vi-me finalmente em retões com terra rija em patamar, onde tivemos oportunidade de nos soltarmos. 


O percurso este ano estava sem dúvidas mais rolante, mas manteve todo o brilho dos anos anteriores que lhe deram a tão merecida fama. 



Apesar do já quase dissolvido pelotão, o certo é que bastava apanharmos um single mais técnico para que num repente se voltasse a juntar um maranhal de participantes. 


De novo o regresso aos populares trilhos do GCB, este ano com mais atenção na colocação de rede com vista aos derrapanços, mas infelizmente nem todas as pontes de madeira estavam assim apetrechadas e houve mesmo algumas quedas aparatosas, como foi o caso do nosso amigo Nuno Lima. 


Uma manhã de pura animação e divertimento conjunto. Sempre a dar-lhe gás por paisagens fenomenais. O tempo manteve-se sempre solarengo, o que em muito ajudou à festa, ao contrário dos últimos anos em que o S. Pedro não deu tréguas.


Voltei a montar a minha amiga GoPro, este ano no guiador, porém só levei uma bateria e não me garantiu as 2:12 de prova.


O percurso esteve sempre muito bem marcado, com fitas, setas e cal. Até os trilhos estavam todos identificados. As zonas de abastecimentos também voltaram a estar irrepreensíveis como já é habitual, mas não tive tempo de experimentar nenhuma este ano, a pressa era muita que de tarde tive de ir vergar a mola. 


Voltámos a fazer a mítica passagem junto do moinho antes de nos fazermos à passagem junto do Castelo de Almourol. Também novamente andámos no interior do perímetro militar de Tancos. 


O Samuel Nabiça não resistiu e meteu-se pelo trilho na sua fininha para esperar os representantes da Zona 55 e assim apoiá-los à sua passagem. 


Este ano a descida até junto do Castelo de Almourol esteve num nível impressionante! Que excelente percurso e paisagem. Fizemos 2 passagens junto da fortificação medieval, uma primeira numa zona mais elevada e depois, já a caminho da meta, uma outra passagem mais próximo ao leito do Rio Tejo.



O Jorge Rabaça, nosso fotógrafo, esteve numa zona privilegiada e captou fotos lindíssimas.  


Sempre na luta por um lugar melhor, sem nunca perder o controlo da minha fantástica Cannondale F29, que pelo 2.º ano consecutivo me acompanha neste evento. 



Uma das subidas mais técnicas, que não dava tréguas quando não acertávamos na mudança e nos levava a desmontar de imediato. O Rui Rodrigues esteve aqui a confirmar isso mesmo.


Já no regressso à meta (para os participantes nos 40km), era dar tudo o que havia ainda para dar a nível físico. 


 O David Gonçalves, que fez o percurso maior, foi logicamente o último a chegar dos nossos representantes, mas chegou cheio de força e determinação. De seguida seguiram-se os banhos localizados ali bem perto.


O almoço esteve muito delicioso! O staff foi desenrascado o suficiente e esteve à altura do desafio, era chegar, perfilar, almoçar e bazar! 

Muitos parabéns por mais um sucesso ao G. C. Barquinhense e continuem assim, agora com o apoio sem reservas do município, que bem merecem. Até 2017.

(752 participantes)
001.º - 02:23:26 - Luís Martins (Marrazes/Brejinho/Gui/Bike Zone Leiria) 
002.º - 02:24:40 - Diogo Almeida (Marrazes/Brejinho/Gui/Bike Zone Leiria)
003.º - 02:25:42 - Marco Pereira (Churrasqueira Matias)
067.º - 03:14:56 - David Gonçalves (Clube de BTT Zona 55) - 7.º Vet. C
157.º - 05:39:20 - Último

001.º - 01:31:46 - Pedro Pinheiro (Róódinhas/Santos Silva)
002.º - 01:35:34 - Dário Pereira (Ribabike)
003.º - 01:35:41 - Hugo Grazina (Os Fincadas/U.R.D. Juncalense)
025.º - 01:46:11 - José Silva (Clube de BTT Zona 55) - 7.º Vet. B
107.º - 02:12:16 - João Valério (Clube de BTT Zona 55) - 17.º Vet. B
496.º - 05:12:10 - Último


ÁLBUNS FOTOGRÁFICOS

9.º BTT Almourol à Vista
Percurso Almourol à vista 2016 - 40km

Créditos à reportagem
Texto: João Valério
Fotos: António Romão (GCB), Carlos Silva (Delta D'Aire), Jorge Rabaça (Zona 55), Rui Rodrigues (Tecnifoto), Urbina Varela
Vídeo: Zona 55

domingo, 17 de abril de 2016

Participação da equipa (Almeirim)

Representação a cargo de:
40km - Pedro Lourenço, Pedro Silva.

Esta foi a minha (Pedro Silva) primeira prova na bonita zona de Almeirim, que depois de me fazerem o convite, achei que devia dar o meu contributo como participante, com Organização dos Bombeiros Voluntários de Almeirim, lá fiz o levantamento do dorsal assim como o meu colega Pedro Lourenço, onde fomos recebidos com muita simpatia e boa disposição.

Já na zona de controle zero, que foi comum às duas distâncias, embora com alguma fila de espera mas feita a bom ritmo.

O Pedro Lourenço nos últimos reparos para o controlo, visto que tinha decidido trocar a distância maior pela menor, pois na noite anterior tinha estado em grande forma na Scalabis Night Race em Santarém, tendo feito uma boa prestação, motivo pelo qual decidiu mudar para distância menor pois a fadiga era alguma.

No ponto de partida, lá estavam alinhados numa primeira boxe os participantes dos 70km e, numa segunda boxe, os dos 40km, tendo os da primeira saído 3 minutos mais cedo.

O grupo total de participantes rondou os 180, sendo maioritariamente os dos 40km, nos 70km eram cerca de 20.

Esta foto ilustra bem a preocupação da Organização no que diz respeito à segurança dos participantes no evento, e em tudo mais que envolve o normal desenrolar do mesmo. Os Bombeiros Voluntários de Almeirim em conjunto com a G.N.R. de Almeirim primaram-se por estar nos pontos cruciais para dar o respetivo apoio.

Numa primeira fase em que se rolava dentro da cidade de Almeirim.



Imagens de cores primaveris era o que se apresentava à medida que se avançava pelos campos em direção à zona Este de Almeirim.

As cores dos equipamentos pintavam ainda mais os campos, já com as sua bonitas cores.

O prazer de circular por estes caminhos foi tanto que até dava para posar para a foto.

Com o avançar no percurso foram várias as passagens por zonas de pinhal e vinhas, com zonas de fácil passagem, apesar de nos dias anteriores ter estado umas péssimas condições climatéricas, que se fazia prever um mau estado do piso. Mas não se veio a confirmar talvez também por o terreno ser arenoso.





No que respeita a marcações nada a reparar, apenas digo "muito bom", desde sinalização vertical, horizontal, fitas e sempre, mas sempre, nos pontos chave, quer após alguma subida mais puxada quer em zona de eventual passagem mais perigosa, lá estavam os "Soldados da Paz", os nossos amigos Bombeiros.




A única zona de abastecimento sólida estava localizada mais ou menos a meio da distância dos 40km. Tinha desde sumos Compal, água, fruta, bolos e gente amiga. Existiam vários pontos de água ao longo do percurso.
Numa passagem pela Barragem dos Gagos que, embora estivesse bom tempo, ainda não apetecia um banho. Fica para a próxima!



Nos vários pontos onde o circuito cruzava estradas Municipais, lá estavam elementos da Organização para que tudo rolasse sem incidentes.

Esta é a imagem da boa disposição dos elementos da organização.


Uma passagem que exigia alguma perícia para ser ultrapassada, sendo que estava devidamente sinalizada para o perigo inerente.


A meta estava montada no arruamento das Piscinas Municipais, junto do jardim.

Prova de alto nível em termos organizativos, marcações corretas e com boa visibilidade, bom abastecimento e no local indicado, banhos nas Piscinas Municipais com ótimas condições, almoço 5* com a tradicional sopa da pedra, prato de carne, boa pinga e muitas sobremesas à escolha.
Convívio saudável, e pessoal do corpo de bombeiros ao mais alto nível onde nada faltou. Muitos parabéns.

001.º - 01:34:58 - Dário Pereira (Ribabike)
002.º - 01:34:59 - António Eloy (Ribabike)
003.º - 01:35:54 - Fábio Silva (Roda Livre Cartaxo)
050.º - 02:01:33 - Pedro Lourenço (Clube de BTT Zona 55)
117.º - 02:55:56 - Pedro Silva (Clube de BTT Zona 55)
145.º - 03:50:44 - Último

ÁLBUNS FOTOGRÁFICOS


Créditos à reportagem:
Texto: Pedro Silva
Fotos: Casais Lagartos Bike Team, Bicicletsteam, Bruno e Cláudia Veríssimo, MF Bike Team, Tiago Lopes, Zézita Rodrigues, Pedro Silva (Zona 55)
Vídeo: Zona 55

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...