sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Zona 55 & TNT na Serra de Sintra

À esquerda, Francisco Esteves (TNT - Todos No Trilho) e à direita, João Valério (Zona 55 Bike Team)

O treininho já havia sido combinado entre nós havia mais de 1 ano, mas só agora foi possível conciliar-mos a nossa agenda. Conforme havíamos combinado aquando o nosso encontro na Vidigueira, iniciámos o percurso em Algueirão e após entrarmos em Sintra já tinha a boca seca só de imaginar as subidas que me esperavam...
Afastei rapidamente a ideia de que o sol seria um problema acrescido mal entrámos nos limites da Serra de Sintra. As enormes sombras da vegetação e a humidade provocada pelo microclima ali existente faz-nos até interrogar em qual estação do ano nos encontramos, tal é a "fresquidão".
Foto dos convivas ainda no lado este da Serra.

Os primeiros kms foram reveladores... subir, subir, subir, parecia não ter fim a subida!

A beleza dos trilhos ajudava a esquecer o enorme acumulado de subidas...

Lá fomos aproveitando para pôr a conversa em dia e também aproveitei para sacar alguma informação ao aventureiro Chico Esteves relativamente ao seu feito deste ano, na realização da Via Algarviana em apenas 3 dias, ligando em largura o Algarve, numa extensão aproximada de 400kms e sensivelmente uns incríveis 9.000 mts. de subidas de acumulado. Esta é sem dúvida a grande aventura que pretendo levar a cabo em 2011.
Finalmente lá descemos, mas como desconhecia os trilhos decidi não "largar os cavalos".


Voltámos a subir. Tanta placa... decidimos não segui-las. Já era quase meio-dia.

O Chico desafiou-me a atingir o lado oeste da Serra, onde disse ter a paisagem mais bonita que eu algum dia havia fotografado. Fiquei empolgado com a promessa... mas era elixir suficiente para me dar forças extras.

Nem foi preciso chegar ao extremo Oeste. Esta zona da Serra já me impressionava pela sua extrema beleza. Que prazer era pedalar por entre tão linda floresta. Fiquei fã destes trilhos, apesar de duros.

Devido à enorme humidade, havia muitas zonas que se apresentavam bastante molhadas e logo escorregadias, ainda por cima com montes de raízes e degraus escorregadios. Cautela era a palavra de ordem.


Paisagem idílica, sem dúvida.

Rapidamente atingimos a zona oeste.

Ao fundo o Cabo da Roca, trouxe-me à memória os idos tempos de motard e as romarias até lá.


O Chico tinha razão. A paisagem era sem dúvidas espectacular!

Caminho de acesso à desactivada Estação Meteorológica, a impôr-se lá no alto.

Ali próximo uma fonte, que apesar de correr pouca água era bem fresquinha.


Decidi aventurar-me até ao interior e analisar de perto a tão bem estruturada fonte.


Esta foto ainda há-de dar um bom quadro!

O Chico havia-me prometido um económico almoço no famoso restaurante "Refúgio do Ciclista", ex-ciclista do Sporting e ex-colega de equipa do saudoso Joaquim Agostinho, mas feita a descida de cerca de 3kms com água na boca e o estômago colado às costas viria-se a revelar decepcionante: estava encerrado para férias! Lá voltámos a subir a Serra e já só com algumas gomas energéticas, lá fiz das tripas coração para regressar a Algueirão. Foi uma excelente forma de passar o dia, apesar dos somente quarenta e tal quilómetros percorridos, tivemos de regressar pois havíamos começado já depois das 10H00 e terminaríamos após as 15H00... sem almoçar. Um muito obrigado ao Francisco Esteves e desde já fica prometido um regresso. Até à próxima.
Reportagem: Fotos e textos por J. Valério

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...