quarta-feira, 26 de abril de 2017

Participação da equipa (Caminho de Fátima)

Representação a cargo de:
550km - David Gonçalves

O David embarcou nesta aventura a convite e na companhia de elementos da equipa Motores a Broa, inserido num grupo de 8 elementos, realizando o percurso inverso do Caminho de Santiago, num percurso misto Caminho da Costa/Caminho Português de Santiago, com alguns desvios e variantes à mistura, naquela que foi a sua primeira (espero que de muitas mais) longa travessia, entre os dias 22 e 26 de Abril de 2017.


Etapa #1: Santiago de Compostela/Baiona (140km)









Etapa #2: Baiona/Vila do Conde (124km)







Etapa #3: Vila do Conde/Aveiro (114km)







Etapa #4: Aveiro/Ansião (110km)









Etapa #5: Ansião/Fátima (63km)








As etapas foram extensas e por vezes duríssimas, com muitos sobe e desces, principalmente nas duas primeiras etapas, onde inclusivamente chegámos a enganar-mos (ou nos induziram em erro) quando um elemento da Polícia Espanhola que estava a auxiliar numa prova espanhola, ao ver-nos aproximar pensou também estarmos em competição e encaminhou-nos atrás dos restantes participantes... nem reparou que levávamos mochilas e alforges... Dois dos alforges tiveram avarias, não resistindo sem reparações que nos obrigaram a fazer. Na primeira etapa tivemos de pedalar depressa e bem para conseguirmos chegar ao destino antes do cair da noite.
De mochila às costas, é sem dúvidas um género de aventura a repetir!

Créditos à reportagem
Texto: João Valério, David Gonçalves
Fotos: David Gonçalves

domingo, 9 de abril de 2017

Participação da equipa (Sertã)

Página do evento

Foto de Carlos António Tóny.

Representação a cargo de:
42km - Carlos António

Cheguei cedo, cerca das 08H15, pois a viagem até à Sertã foi curta, cerca de 8 Kms.
Ainda praticamente não havia atletas.

 A minha primeira paragem foi junto da sede do Selinda BTT para levantar o frontal, operação esta que foi rápida, pois fui quase dos primeiros. A manhã estava óptima, com o sol a brilhar e temperatura amena, ingredientes fantásticos para a prática de BTT




Depois segui para junto do pavilhão municipal,  local onde iriam ser os banhos, pois assim no final da prova não seria necessário andar de viatura todo suado.

Após algumas afinações finais na máquina, desloquei-me para o local de inicio da prova, como de costume na bem conhecida Alameda da Carvalha, onde ainda eram poucos os atletas.


Como ainda era cedo aproveitei para tirar algumas fotos, junto de um pequeno museu ali existente (lagar de vara).


Até que começaram a chegar mais atletas e a coisa começou a ficar mais composta.

A zona de partida era composta por várias boxes, primeiro partia a maratona (federados/não federados) e só dez minutos depois partia a meia maratona.

A zona de partida até ficou bem composta , compareceram cerca de 200 atletas, e alguns até vieram de bem longe (da zona do Porto), a equipa do FutPark BTT, bem numerosa cerca de 15 elementos, que me fizeram uma escolta à partida.

A prova começou bem rápida, como já é normal com cerca de 3 Kms em asfalto e depois com a entrada em terra, com um constante sobe e desce, até chegar-mos a Pedrogão Pequeno, onde iria-mos descer que nem uns loucos em calçada romana, até bem junto do Rio Zêzere.

Onde tinha-mos uma vista fantástica sobre o rio, local óptimo para tirar umas belas fotos.




Aqui se via a altura da ponte do IC8, vista de baixo até metia medo.

Lá bem juntinho do rio, num local chamado Curral das Freiras, foi servido um belo abastecimento, onde não faltava bastante fruta, líquidos, marmelada, barras de cereais...

E até o belo do churrasco (entremeada, entrecosto, febras, etc) no pão.

Tinha-mos que abastecer bem, porque para sair daquele" buraco", seria bem complicado, cerca de 3 Kms a subir, onde se seguiria mais um constante sobe e desce até à zona do Cabeçudo.

Onde chegaria-mos ao também já conhecido single tracks da caveira.



E ao trilho do Túnel, para quem não conhece são uns bons 200 metros debaixo do chão com os pés molhados e com luzinhas dos lados a sinalizar, mas a ver muito pouco por onde passas, mas não á perigo de te perderes, hé. hé, hé.



E finalmente cheguei ao fim, onde tirei mais umas fotos e uma vez mais com os colegas do pedal do  FutPark BTT, estes dois que me fizeram companhia desde Pedrogão até à meta.


E agora depois de cerca de 40 Kms bem durinhos, foi o merecido banho, banho este onde a água quente era escassa, um dos poucos pontos negativos a apontar a este passeio, mas nada de grave pois até nem soube nada mal.

E finalmente chegou a parte melhor, como já é habitual o almoço foi servido no já conhecido restaurante "Ponte Velha". Começando pelas entradas, com diversos fritos (croquetes, rissóis, pastéis de bacalhau, etc...).

... passando pela sopa de peixe da Dona Helena...

... carne assada no forno com arroz e batata assada...

Tudo isto na boa companhia dos amigos do "Fôjo", que após o final da prova me deram o prazer da sua companhia.


E como não poderia deixar de ser, pois seria como ir a Roma e não ver o Papa, eis que surge o delicioso maranho e o bucho. 


Não fiquei para a entrega de prémios, mas ficaram de me entregar à posterior, hé, hé, hé.


Depois de mais um dia de Btt bem passado, onde tudo correu dentro das expectativas, partida dada a horas, percurso bem marcado com fitas e cal no chão, abastecimentos espectaculares, e principalmente sem avarias ou quedas (da minha parte), pois parece que houve três quedas mais graves, e um grande convívio com os amigos do pedal, eis que chegou ao fim mais uma maratona Selinda Btt (***** estrelas). Só foi pena não ter a companhia de alguém da Equipa.
Classificações da Meia Maratona Open 42Km
001.º - 01:52:33 - Ricardo Freire (Transfor- Fátima Btt)
002.º - 01:57:51 - Marco Fernandes (Markauto)
003.º - 02:00:54 - Jorge Henriques (Lourival Bike Team)
014.º - 02:26:53 - Carlos António (Clube de Btt Zona55)
112.º - 04:14:13 - Ultimo


ÁLBUM FOTOGRÁFICO

Créditos à reportagem:
Texto: Carlos António
Fotos: Carlos António e SelindaBtt

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...