domingo, 30 de outubro de 2011

Participação da equipa (Pinhal Novo)

Representação a cargo de:
40km - Filipe Rodrigues e João Valério.

No local estiveram também presentes um outro nosso elemento, Sofia Lopes e a nossa amiga Rita Calado. 


O Secretariado funcionou nas instalações do Mercado Diário com rapidez para tanta afluência de "clientes" (cerca de 800 participantes). No exterior esperava-nos um pequeno almoço muito nutritivo. Excelente! 

Após conseguirmos arranjar um estacionamento (não foi fácil...), levantarmos os kits inscrição, ir ao pequeno almoço e dar uma vista de olhos geral, fomos para a zona de partida.

As partidas estavam fraccionadas, tendo os participantes nos 80km saído às 09H00, os do passeio às 09H15 e os dos 40km às 09H30 (o nosso caso), o que nos permitiu ter um pouco mais de tempo para usufruir do espectacular ambiente que ali se vivia, animando toda a zona envolvente.

Estiveram ainda presentes neste evento os nossos parceiros David Silva da revista "O Praticante" na captação de fotos e o David Silva (júnior) como participante/representante da equipa Asas do Milenium / O Praticante. 
A partida sentiu-se um pouco "apertada", pois os pelotões das diversas distâncias eram grandes e logo após a saída havia um "cotovelo"  e também lombas, que atrasavam um pouco a saída das centenas que estavam mais para trás.


Os primeiros 13km foram a rolar. Primeiro por asfalto até à saída de Pinhal Novo, na clássica apresentação à povoação, depois até atingirmos os limites da área da Serra da Arrábida, sempre em patamar, ora terra, ora asfalto e às vezes encontrámos areia.

Chegados ao sopé da Serra da Arrábida, ainda no meio de um enorme pelotão de largas dezenas de atletas, apesar de havermos ultrapassado montes de pessoal até ali, visto circularmos em dupla e partido na cauda do pelotão à partida, foi inseridos num enorme mar de bttistas que "atacámos" os primeiros single tracks da Serra. Mais parecia uma cena de cinema, com as tropas a atacar um forte lá no alto, tal era o número de praticantes envolvidos.
Neste primeiro ataque às dificuldades, 90% das subidas feitas à mão devido à enorme quantidade de ciclistas, íamos sendo "apaparicados" por placas com dizeres engraçados que iam sendo tema de conversa entre os participantes que resmungavam perante as dificuldades, dando ânimo ao momento.




No topo da maior subida da Meia Maratona, parecia que chegávamos a um arraial. A agitação era grande, com diversos elementos da Organização no local. Uns assavam febras, entremeadas... outros supervisionavam longas mesas onde se encontravam água-pé (é verdade...), frutas, bolos, bebidas energéticas, águas, enfim, de tudo um pouco!

Enquanto nos deliciávamos com o banquete, travámos amizade Jámon e Tufo, com o Gun_Hugo_Dale.


Parados nesta 1.ª ZA, olhávamos para lá para baixo para o caminho que nos trouxera até ali e era lindo de se ver: Um enorme carreiro multicolor de bttistas encaminhava-se para o local onde nos encontrávamos, como que seguindo o cheiro dos assados e respondendo aos apelos de "Força, só mais um bocadinho, venham provar as febras e a água-pé..."

Depois de uma ZA tão "farta", foi com algumas reservas que nos voltámos a fazer ao caminho, mas depressa voltámos ao ritmo e novamente fomos surpreendidos com uma excelente vista sobre o Atlântico. Durou somente cerca de 300 metros, mas valeu a pena.

Voltávamos às entranhas da Serra da Arrábida, já para fazer o caminho de regresso...

Apesar dos kms percorridos, o pelotão parecia não querer partir. Nunca nos vimos sozinhos!


Com as barrigas cheias de unto (por dentro), já custava atacar nas subidas do regresso...






Os kms iam passando e a Organização não parava de nos surpreender. Trilhos lindíssimos, com singles a elevar-nos a um estado de espírito superior, de plena satisfação, onde a fechada e húmida floresta nos brindava com paisagens fabulosas. 



Os últimos 10kms de regresso foram novamente a rolar, sem grandes dificuldades, com percursos urbanos muito bonitos, a ladear quintas e ultrapassando estreitos viadutos até se atingir a população.

À nossa chegada tínhamos um grande recepção numa meta muitíssima animada pelo público, tendas de colaboradores e o speaker de serviço.


Depois de ultrapassada a linha de meta, tivemos direito a um sorteio directo de lembranças e à oferta de líquidos isotónicos por parte de representações de diversas marcas ali presentes. 



A enorme fila de sacos com lembranças e prémios para os concorrentes.

A revista "O Praticante", um dos media partners do evento, juntava mais adeptos curiosos.

Após a deslocação para o banho no campo de futebol, ali mesmo em frente, no quartel dos Bombeiros, estava preparada festa final. Um enorme almoço, digno de reis. Parecia um casamento... mas dos grandes!


Tínhamos à nossa espera 3 pratos principais à escolha, sopa, diversas entradas e bebidas de todos os géneros para acompanhar. Era à vontade do freguês...


Após abancarmos ainda íamos mandando uns bítáites ao pessoal conhecido que ia seguindo na fila para o almoço. Lá conseguimos convencer a Tekas e o Mário Simas para nos fazerem companhia e levarem connosco por um bocado.

Encontrámos ainda muito pessoal conhecido da nossa zona, que tais como nós, se estreavam neste fabuloso evento, cheio de coisas boas. Como é possível nunca antes termos tido aqui uma representação? Erro crasso! A partir de agora, que já conhecemos, não há desculpas.

Passando ao pavilhão ali ao lado, outra surpresa! O Jorge Nice animava o ambiente, contando umas anedotas e cantando umas canções da sua autoria, com um sotaque bem curtido, animando as hostes...

Neste mesmo pavilhão, uma outra tarefa animava os presentes. Antes de nos encaminharmos para a fila da máquina do café havia uma GIGANTESCA mesa de doces. Que loucura. Tudo delicioso, ou quase, porque era dificílimo conseguir provar um pouco de cada sobremesa...



Demos por terminada a festa e tivemos ainda tempo para ir dar um passeio até ao Portinho da Arrábida antes da iniciarmos a viagem de regresso até Abrantes. Ao final do dia, cansativo, lá chegámos a casa com a promessa de regressar numa próxima oportunidade. Uma Organização sem dúvidas entre as melhores e maiores que já conhecemos a nível nacional. PARABÉNS BTT TASCADUXICO.   

Este foi o percurso que realizámos (gentileza de "Solis"):

Vejam os vídeos, que valem mais que 1000 palavras...

Vídeo Zona 55 - Tufo Produções

Reportagem por BTT TV
Tufo ao minuto 10:18

Reportagem Vídeo por José Pereira

Classificações:

Classificação 40km (parcial):
001.º (01h41m40s) - Fernando Carriço (Clube Praças da Armada)
002.º (01h41m54s) - Rui Narigueta (Ciclo Pinhal)
003.º (01h42m04s) - Bruno Santos (individual)
204.º (02h33m39s) - João Valério (Zona 55 / O Praticante)
206.º (02h34m04s) - Filipe Rodrigues (Zona 55 / O Praticante)
539.º (05h20m24s) - Último

Créditos à Reportagem:
Textos: João Valério
Fotos: Zona 55, O Praticante, BTT Lovers, BTT TV,  José Almeida.
Vídeos: Zona 55 (Tufo Produções), José Pereira, BTT TV.
Track's: Solis e Ricardos.

sábado, 22 de outubro de 2011

Participação da equipa (Santarém)

Representação a cargo de:
80km - David Gonçalves. 

Conforme já vem sendo hábito neste evento, englobado na anual exposição Festival Bike nos pavilhões do Cnema, na capital de distrito Santarém, província do Ribatejo, a maior feira da Península Ibérica e a 2.ª maior feira da Europa neste segmento das duas rodas, realizou-se a 7.ª Maratona Festival Bike Órbita, com a participação de cerca de 2.000 atletas, divididos pelas distâncias de 40/80km,

Esta prova, este ano inscrita na UCI e a contar também para a Taça Nacional de XCM, mais uma vez com organização a cargo da FullSport. Reuniram-se um pouco mais de 2000 atletas, uns para competir e outros somente pelo prazer de pedalar entre tantos entusiastas da modalidade, com o acréscimo de simultaneamente poderem desfrutar igualmente de uma visita à exposição de bikes, cujo bilhete, como vem sendo hábito, estava incluído no preço da inscrição.

Uma grande e bonita manta de cores oriunda dos diversos equipamentos multicolores, enchiam as vistas ao público que ali esteve presente, vindos um pouco de todo o país e além fronteiras. Presentes e a participar estiveram presentes também grandes nomes do ciclismo de estrada e BTT do panorama nacional, bem como grandes marcas que apoiam as principais equipas e outras amadoras.

O David teve aqui a sua 3.ª participação neste evento, já com créditos firmados no ciclismo de estrada rende-se finalmente à paixão pelo BTT e pela adrenalina da técnica e dureza fora de asfalto.

 
 Preparando-se para a partida, o David não escapou à objectiva do amigo Manuel Marcão (BTT Lovers).

A partida teve inicio às 09H30, com a partida dos atletas federados (cerca de 300) e que concorriam para a taça de BTT (tratava-se da última prova de taça de XCM). Dez minutos depois deu-se a partida dos atletas para a maratona (87km a bombar), até o material aguentar para alguns, outros até o gás se lhes acabar e ainda aqueles que mesmo com o material todo florido, avançavam na mesma. Por fim partiram os da meia maratona. 

 
 
A partida foi dada de forma repartida, Maratona/Meia Maratona, Federados/Não Federados, de forma a haver a mínima intervenção negativa face a prejudicar o campeonato que aqui via terminada a época. 

Apesar das partidas independentes, a enorme quantidade de participantes levou a que logo no início ocorressem quedas entre o pelotão, como aqui, à esquerda na imagem.

Momentos depois, próximo ao nosso David Gonçalves, mais uma queda ainda e também junto à linha de partida, em que o David consegue passar incólume por entre a enorme confusão gerada.
Aqui o David a "fugir" à confusão. Pernas para que te quero!

 

 A 1.º subida do dia, logo à saída da zona de partida, na entrada para o 2.º km de prova.
 O terreno estava muito seco. Nunca tinha visto tanto pó numa prova BTT, pois as bikes levantavam muita poeira e era importante quando dava, um individuo proteger-se com o vento.


Grupo onde seguia o sobejamente conhecido Vítor Gamito.

Poucas centenas de metros atrás seguia o David Lebre também em bom ritmo. 

Esta a 1.ª parede do dia, que obrigava os atletas a desmontar por falta de tracção. 

Uma pequena ponte levava os atletas a ultrapassar uma vala, ponte esta que devido ao pelotão ainda aqui seguir enorme, levou logo ali à formação de filas enormes. 


Bem, esta prova em termos de organização estiveram muito bem, trilhos bem marcados e bem sinalizados, cruzamentos com policiamento e chamadas de atenção para os perigos, feitos com placas de sinalização e até com pessoas com coletes refletores.

 
  
 
Sensivelmente a meio do percurso tinha um troço que parecia uma pista de motocross, em que o percurso era separado por fitas e andávamos ali a subir e a descer uma encosta. 

 
 
 
Foi neste local que desgracei a minha pedaleira e torci a corrente, fazendo perder muito tempo. Acabei por fazer um ou dois kms a pé e quando cheguei a uma zona residencial, onde havia mais um troço em rampas de madeira, tive sorte. Encontrei ali um espectador, o colega da equipa Pedro Silva, que tinha ferramenta adequada. Desencravamos a corrente e meti novamente lenha na caldeira... foi até acabar. 

Esta zona de espectáculo viria a ser o centro de todas as contestações, face às filas que se criaram, havendo compassos de espera a ultrapassarem os 40 minutos só para ultrapassarem esta zona, em que a passagem só permitia 1 único atleta de cada vez.


Mas, problemas à parte, houveram ainda diversas zonas para rolar... e bem, com largueza suficiente e sem pó. 
Na foto o amigo Zé Bitoque, da RHC Motos/Bikes, também nosso parceiro. A referir o facto dos percursos 40/80km serem na sua praticamente totalidade, diferentes entre si, ou seja, por trilhos completamente desiguais.





Os abastecimentos eram bons, com produtos da Gold Nutrition. Na chegada foi o costume (deste evento): bons banhos, prémios e feira... A classificação foi 132º. Com material a funcionar bem, posso garantir-vos que faria bem melhor, pelo menos, talvez, menos meia hora e já chegaria com o Gamito. Fica para a próxima...  


Mais fotos tiradas por nós, a cargo de Pedro Silva, ver aqui álbum completo (65 fotos).

Vídeo RTP2 - Reportagem

Video BTT TV - Reportagem


Vídeo Rescaldo c/ Camera Onboard - Paulo Rodrigues

CLASSIFICAÇÕES

Classificação 80km (parcial):
001.º (03h38m15s) - Rui Pereira (individual)
002.º (03h49m09s) - Cláudio Trancadas (Bike Clinic)
003.º (03h49m17s) - Carlos Trancadas (Bike Clinic)
136.º (04h53m25s) - David Gonçalves (Zona 55 Bike Team) - 34.º cat. Vet. B+C
295.º (07h23m26s) - Último

Créditos à reportagem:
Textos: David Gonçalves, João Valério
Reportagens Vídeo: RTP, BTT TV, RodriguesPeto
Fotos: Zona 55 (Pedro Silva), BTT Lovers (Aurélio Marcão), Passagens ao Acaso, Scout68 (Rui Alexandre), Afonso Estevão, Cláudia Margarida, Organização.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...