sábado, 5 de outubro de 2013

Participação da equipa (Cascais/Lisboa)

Este ano a nossa equipa decidiu participar em mais um desafio, desta feita, o Bike Maratona EDP. Foram cerca de 37 kms em percurso praticamente plano, de Cascais (junto à Câmara Municipal) até ao Parque Expo, com passagem pela Ribeira das Naus. Sempre junto ao rio, naquela que, para nós, é considerada a mais maravilhosa estrada da Europa - a estrada da Marginal.


Depois de uma semana chuvosa que insistiu em lavar bem o percurso, o dia amanheceu limpo e solarengo, pondo de parte qualquer desculpa ao ciclista mais descuidado na preparação. Não havia razões de queixa, tudo organizado com o maior rigor e ao pormenor, desta feita, não havia mais nada a fazer que não fosse, dar ao pedal com a força que tínhamos e alguma que às vezes já não tínhamos.
O João Guerra e o Pedro Lourenço foram os ciclistas de serviço, desta feita, com as fininhas de roda magricela. O nervosismo da primeira vez numa prova desta natureza manifestava-se bem, mas a adrenalina do desafio faz maravilhas.

Os primeiros dois quilómetros faz-se atrás do carro de controlo, depois, após a saída do mesmo junto ao Casino do Estoril e ao estilo “safety car”, a partir daí é só dar gás e esperar que as pernas não nos atraiçoem, o percurso é de facto maravilhoso e respirar a plenos pulmões a brisa do mar é algo que nos aquece a alma.
O ambiente é fantástico, o apoio que o público nos vai dando permite dar algum alento quando as rodas começam a ficar pregadas ao chão. A passagem por Oeiras faz-se a 50 kms/h numa altura em que a vontade de parar na esplanada a olhar o mar já era quase irresistível, mas, como sempre, os desafios são para levar até ao fim e o incentivo do público faz-nos sentir uma espécie de Rui Costa, com algumas pequenas diferenças é certo, mas com o espírito todo.

O trecho junto à praça do comércio faz-se com os dentes a bater, não que faça frio, mas porque passar o pavimento em empedrado a 35 kms/h é coisa para assustar até um ciclista de BTT.
A chegada estava bem organizada, embora tivesse voltado do malogrado empedrado que, nesta altura, já começa a causar alguns danos. Chegámos ao sprint (se assim se pode dizer) com o calor do público a puxar pela malta, o controlo de chegada registou um 25º lugar para o Pedro e um 37º lugar (7.º na classe) para o João, a 56´ e 59´respectivamente.


Uma experiência a repetir, sem dúvida uma pequena aventura, com muita, mesmo muita, adrenalina!

Voltaremos para o ano com toda a certeza!
Classificação geral absoluta: http://www.fullsport.pt/cronometragem/78/Classificação%20Geral%20Absoluta.pdf

Texto: Pedro Lourenço
Fotos: David Gonçalves (Zona 55)

Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...