domingo, 26 de novembro de 2017

Participação da equipa (Guarda)

Representação a cargo de:
70km - João Valério

Depois de me haver estreado em 2014 juntamente com o Rui Almeida em representação do Clube de BTT Zona 55 no já então famoso Invernal da Guarda, voltei, desta vez sem companhia, passados 3 anos para, desta vez, me aventurar na distância maior. Como cheguei no dia anterior, o levantamento do kit de inscrição foi tranquilo, no secretariado que se localizava no Estádio Municipal.

O kit de inscrição veio composto de um prático saco de tiracolo, um par de utilitários manguitos e o obrigatório frontal com as respetivas braçadeiras.

Como estava instalado a pouco mais de 2km da zona de partida/meta, aproveitei desde logo a deslocação para fazer o aquecimento, mas a coisa não estava fácil. O dia amanheceu fabuloso, com um sol intenso mas incapaz de aquecer a temperatura ambiente, pois o termómetro marcava 1ºC.

Fui dos primeiros participantes a chegar à zona de partida onde, estranhamente e ao contrário do que experimentara há 3 anos atrás, à medida que os restantes participantes iam chegando às imediações ninguém se colocava na manga de partida, o que só veio a acontecer 10 minutos antes da hora prevista para a partida. Derivado ao frio, a maioria do pessoal estava a fazer aquecimento e os restantes estava abrigados em edifícios, no interior dos carros ou ao sol.  

Uma vez que ninguém se chegava à frente para começar a perfilar o pelotão, tive de dar o exemplo e, penso que pela primeira vez, me coloquei numa frente de corrida, sendo quase de imediato imitado, primeiro pelos diversos concorrentes aos primeiros lugares da classificação e depois pelos demais participantes. Talvez o motivo do tardio ajuntamento foi a escassa participação na distância Maratona (cerca de 60), agravada pelo facto da partida para as ambas distâncias ser distinta, com um intervalo de 15 minutos, partindo somente às 09h15 os participantes na Meia Maratona.


 Assim que partimos percorremos cerca de 5km em asfalto até entrarmos na terra batida. O ar estava gélido, com uma aragem extremamente fria, tendo-me esfriado as mãos logo que partimos mantendo-se assim até cerca do km10. Nem mesmo as primeiras subidas iniciais me permitiram aquecer. A dificuldade em respirar era grande.



Os primeiros quilómetros foram compostos de diversas subidas, levando-nos desde logo aos locais mais elevados do percurso, facilitando a quebra geral do pelotão e tendo-se formado pequenos grupos, onde eu calhei num grupo de cerca de 6 elementos, seguindo nós juntos cerca de 20km, por vezes uns adiantando-se e outros atrasando-se, mas quase sempre juntos.



Pelo caminho fomos presenteados com algumas descidas épicas, exigindo alguma técnica, permitindo-me dar folga aos travões e ganhar algum avanço a diversos adversários mais cautelosos.



 Já na segunda parte da prova, sensivelmente a partir do km43, começámos a verdadeira luta contra as cambras, pois os últimos 20km foram praticamente sempre a subir, por vezes com inclinação bastante acentuada. 


Lá íamos passando pelas diversas zonas de abastecimento mas, como é meu apanágio, por não gostar de descansos pelo meio e por levar comigo o necessário para sobreviver aos quilómetros a que me tinha proposto, não parei.


Pessoalmente, a nível de dificuldade física, a dureza estava toda acumulada a partir do km52, já com o percurso comum a ambas as distâncias e a partir de onde, já um pouco exaustos, nos deparámos com as subidas mais íngremes e extensas, onde vi e pude ultrapassar diversos participantes de uma e de outra distância apeados, a arrastar-se por ali acima.


Os últimos 5km foram comuns à mesma extensão inicial, usufruindo de uma pequena extensão a descer após muitos quilómetros de subida, com a zona final de entrada nas imediações e cidade já em asfalto, o que de alguma forma deu ânimo apesar de ser em subida, tendo eu chegado à meta sem qualquer acompanhamento.



Percurso/track da Maratona de BTT Invernal Cidade da Guarda 2017.

Um pouco além do anunciado, o acumulado final aproximou-se dos 1700m D+ para um total de 66km percorridos no percurso da maratona.

Depois do retemperador banho, bem quentinho por sinal, onde quase sem exceção se ouvia o pessoal repetidamente a tossir, resultado da inspiração de ar bastante frio ao longo de toda a prova, segui-se a deslocação para o espaço destinado ao almoço onde, cá fora, havia uma espécie de menu de entradas composto de enchidos e carne de porco no espeto, bem regado. O almoço foi ali ao lado, muito bem servido e com qualidade q.b..


O evento terminou com a cerimónia de entrega de troféus e prémios, o que aconteceu após o almoço mas à qual não assisti, pois tinha 200km de regresso para fazer até casa. Mais uma vez fui e fiquei um pouco triste por não ter encontrado neve, mas enfim... no futuro não prometo regressar a este evento, dada a distância de casa, porém se tiver companhia, nunca se sabe. De qualquer forma, aconselho vivamente todos os apaixonados pelo btt a participarem, pelo menos 1x na vida neste famoso evento beirão.

01.º - 02:48:14 - Ricardo Gomes (Lamigroup/Casa do Benfica de Castro D'Aire)
02.º - 02:49:44 - Nuno Ribeiro (individual)
03.º - 02:52:37 - Hugo Fernandes (Bandarra's BTT Trancoso/CCG)
28.º - 04:04:40 - João Valério (Clube de BTT Zona 55)
58.º - 05:59:05 - Último

ÁLBUNS FOTOGRÁFICOS

Créditos à reportagem
Texto: João Valério
Fotos: Cláudia Sofia, Miguel de Melo Costa, Município da Guarda, Nelson Oliveira, Photoburst.net, Sofia Lopes.

Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...