sábado, 11 de abril de 2015

Líquidos selantes para tubeless

O motivo que me levou a escrever este post foi o da foto acima. A grande maioria não vai conseguir perceber que raios é isto! Trata-se de líquido selante, já seco, porém flexível,ao tacto muito parecido com borracha. Isto encontrava-se no interior de um pneu tubeless que já não rodava há uns bons 4 meses. O nosso elemento José Silva é que descobriu isto quando levou a minha roda para tentar perceber se era um problema no cepo a situação que eu lhe tinha reportado: nas descidas a bicicleta rolava aos solavancos. 

Existem no mercado muitos líquidos selantes e todos eles surtem efeito, uns melhores que outros. Já usei o NoTubes e agora estou a usar o Caffélatex, nunca experimentei outros. O motivo porque mudei de marca foi porque a loja onde comprava o primeiro fechou portas e um amigo meu abriu uma loja nova e começou a vender este último.

Alguns amigos meus começaram a usar o também chamado de "Effecto mariposa" e comecei também a usar. A melhor forma para colocar o líquido no pneu é mesmo injetando-o pela zona do pipo, tirando primeiro a válvula, ou mesmo descolando uma parte do pneu e verter diretamente do frasco lá para dentro.

Não sei se as outras marcas possuem, mas o Caffélatex tem-no. Trata-se de um reagente apelidado de "ZOT!", que nos casos de rasgos maiores ou furos de grande diâmetro, coloca-se por fora (obviamente) sobre a zona a tapar e em contato com o outro líquido que se encontra no interior produz uma camada aborrachada que fecha o rasgo ou furo. A embalagem já vem com um suporte para fixar ao espigão de selim. 

Voltando agora à vaca fria, isto da foto aconteceu porque não tive cuidado. Para quem usa pneu tubeless com líquido selante (também se pode usar sem qualquer líquido, óbvio), tem de ter o cuidado de, principalmente quem anda menos 1x/semana, ao final de 2 meses verificar se o líquido lá dentro ainda está líquido, rodando a roda. 

Se alguma vez o pneu descolar, seja porque motivo for, decerto o líquido que lá está dentro e em contato com o ar irá perder as suas características. Também é conveniente ir verificando a válvula do pneu, retirando-a e limpando-a sempre que se substitui o líquido, porque esse líquido seca, ficando alojado em todo o interior da válvula, fazendo com que o roscado fique obstruído.

Nesta situação que tive aquando um dos saudosos passeios de 6.ª feira da Zona 55, estava a usar camera de ar e tive mesmo de substitui-la, já para não falar que depois tive de comprar outro pneu.

Na minha modesta opinião, o tubeless é de longe superior às cameras de ar. Comecei por usar cameras, depois converti aros e pneus em tubeless (não aconselho) e finalmente passei ao tubeless puro com a aquisição de rodas e pneus para esse efeito.

Neste caso estava a usar o Caffelatex. Fiz uma prova completa (2.ª Passeio da Cabra) e nem me apercebi. Só em casa, quando já estava a lavar a bicicleta, me apercebi de que tinha uma cavilha espetada na lateral do pneu da frente.

Resultado do tubeless: o pneu torna-se mais leve, mais confortável, dá maior segurança e permite utilizar baixa pressão de ar. Tirem algumas dúvidas no vídeo abaixo.



Vantagens de usar pneu tubeless e como converter pneus para uso tubeless.


Créditos à reportagem
Texto: João Valério
Fotos: João Valério, internet.

Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...