domingo, 15 de maio de 2016

Participação da equipa (Abrantes)

Representação a cargo de:
30km - João Valério

Após alguns anos de interregno voltei a ter oportunidade de participar em mais uma Maratona dos amigos da equipa "Branquinhos de Pedal". Com o palco montado no Parque Urbano de São Lourenço, fui mesmo de bicicleta desde casa fazendo desde logo o aquecimento. O secretariado estava montado ali junto e foi rápida a recolha do frontal de participação. Muitas caras conhecidas, entre elas a do amigo Garcia, e um ótimo dia de sol e temperatura ambiente favoráveis a um excelente dia para a prática de btt.

Após alguma atrapalhação no controlo zero para alinhamento na partida, e depois depois de um breve briefing, estávamos todos prontos para o tiro (envergonhado que foi) da partida.

A partida foi dada em simultâneo para ambas as distâncias disponibilizadas, tendo eu, ao contrário do que é meu costume, me inscrito e participado na distância menor, pois tinha só a manhã para pedalar porque de tarde responsabilidades profissionais exigiam a minha presença.

 A partida foi rápida e vi-me atrapalhado para conseguir manter-me no pelotão da frente logo a partir dos quilómetros iniciais, mas foi o suficiente para ganhar alguma distância aos demais, sendo que eu ia na cauda dos mais rápidos, mas depressa comecei a sentir a falta de força e ritmo resultantes do treino duplo do dia anterior e do fraco pequeno-almoço.

Os quilómetros iniciais foram bastante rolantes, com um ótimo piso para rolar, o que aconteceu ao longo de todo o percurso, sempre com velocidades na casa dos 20km/h. O fixador do meu gps traiu-me por 2x obrigando-me a parar e voltar atrás para apanhar o gps e fixá-lo de novo, o que me atrasou um pouquinho.

 As marcações estiveram a excelente nível e não houve dificuldade de maior em seguir o caminho certo. As subidas eram como eu gosto, inclinadas e longas para nos acostumarmos a elas. A divisão dos percursos estaria quase no final da prova pequena, o que deixava na dúvida quem seguia para uma e para outra distância, pensando eu que estava a meio do pelotão de um total de cerca de 100 participantes.

Numa das passagens mais giras do percurso menor, junto de uma pequena barragem. 

Apesar de se verem algumas poças de água ao longo de certas zonas do percurso, facilmente passávamos ao lado ou mesmo pelo meio, quando a profundidade era pouca, até porque estava mesmo a apetecer com o calor que já se fazia sentir e o suor a escorrer pela testa abaixo.

O percurso da distância menor parecia fazer-nos crer que andávamos em círculos. Grandes estradões com piso rijo levavam-nos a dar o que tínhamos e não tínhamos para atingir a maior velocidade possível, onde aproveitei para me colar de novo a alguns participantes que já me haviam passado há alguns minutos.

 Uma das poucas passagens sobre uma estrada rodoviária, com toda a segurança e mais alguma (staff + GNR).

Após o sufoco e cansaço inicial, recuperei e consegui meter um ritmo bem alto para a minha condição física e atual. 

Zona de passagem bastante bonita e interessante, com alguma sombra das diversas árvores ali existentes, após uma pequena subida algo exigente.

 Na aproximação ao último terço do percurso voltei a ir-me abaixo nas canetas, tendo de baixar um pouco o ritmo para poder recuperar algum fôlego, tendo nessa altura sido ultrapassado por um pequeno grupo de 6 a 7 participantes, mas não havia nada a fazer.

Uma das poucas passagens pelo interior de localidades, na imagem Abrançalha de Cima, utilizando um caminho público estreito e asfaltado, que muita animação deu ao pessoal. 

Nos últimos 2km voltámos a repetir o percurso inicial, fazendo o enorme retão de acesso entre a Senhora da Luz e o Parque Urbano de São Lourenço, ligeiramente em descida e com uma vista fabulosa, onde gastei os últimos cartuchos de energia. 

Antes da meta, ainda tempo para algumas centenas de metros a percorrer no pinhal do Parque Urbano, quase sempre em single track e a fundo. 

 Nos últimos duzentos metros ainda um fulgor e lá ultrapassei mais dois participantes que havia entretanto apanhado e que mantinha debaixo de olho há alguns minutos.

No final não fiquei nem para tomar banho, nem para almoçar, indo diretamente para casa ainda de bicicleta. No decorrer da tarde vim a saber que havia ficado em 2.º lugar do meu escalão, o que para mim foi novidade e surpresa, principalmente porque há já pelo menos 7 anos que não fazia um pódio nem tenho participado com essas intenções, mas a necessidade de me despachar neste dia valeu-me um prédio... uau! O meu amigo Marco Lopes (A.C. BTT Fôjo) teve a gentileza de subir ao pódio (o que para ele é hábito), desta vez para em meu nome receber o troféu por mim ganho. Obrigado à Organização pelo percurso maravilhoso e pelo prémio entregue.


ÁLBUNS FOTOGRÁFICOS
Armando Chamusco
Daniel Ascenso
Tromba Estendida - Álbum 1
Tromba Estendida - Álbum 2
Tromba Estendida - Álbum 3

01.º - 01:03:25 - Marco Fernandes (Markauto)
02.º - 01:07:10 - Jorge Gil (individual)
03.º - 01:10:10 - Pedro de Matos (Ondas de Harmonia, Lda)
16.º - 01:26:16 - João Valério (Clube de btt Zona 55) - 2.º Vet. B
59.º - 02:24:41 - Último

Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...