domingo, 23 de outubro de 2016

Participação da equipa (Mação)

Representação a cargo de:
60km - João Valério

Por mim considerada a melhor região do Ribatejo para a prática de btt, rumei ao Mação - Capital do Presunto - para a 3.ª Maratona D'Arrota a Presunto! Comecei mal o dia, pois o despertador não tocou e acordei quando faltavam apenas 30 minutos para começar a prova, sendo que eu moro a 30km dali. Foi beber 1 copo de sumo, comer um bolo, meter umas saquetas de mel no bolso do jersey e, à pressa, carregar o saco de roupa informal e material para o banho pós-prova, previamente preparados na noite anterior, para de seguida acelerar o carro até ao Mação. 

Por sorte encontrei um lugar de estacionamento a 20 metros da zona de partida. Levantei o kit de inscrição a correr e, lucrando com um atraso de 5 minutos na partida, tive algum tempo extra para me preparar para me juntar ao pelotão, o que não consegui, pois o pelotão partiu todo sem mim e só um par de minutos depois estava pronto para arrancar, sozinho e já sem a azáfama inicial.

Ainda ponderei em fazer apenas a distância pequena, mas como não gosto de infringir as minhas próprias regras, segui sem pensar mais para a Maratona. Os primeiros seiscentos metros segui sozinho e sem marcações, porém com as indicações recebidas à pressa pela Organização quanto ao caminho certo a tomar. Precisamente na transição do asfalto para a terra batida comecei a ver as motos que fechavam a prova e, logo a seguir a eles, os últimos concorrentes. A um ritmo elevado comecei desde logo a ultrapassar participantes para recuperar todo o tempo perdido.

Já com diversos concorrentes ultrapassados e após uma descida bem técnica e rápida, o percurso começou a subir de forma surpreendente. As forças e energia inicial rapidamente se esgotaram,, principalmente pela falta de alimento ingerida no pequeno-almoço inexistente. Tive de ir gerindo o ritmo e adequar o melhor possível a energia, parando em todos as zonas de abastecimentos para comer fruta, bolos e tudo o que me pudesse fornecer energia, pois o percurso estava exigente.

Aproveitando a coexistência do percurso comum a ambas as distâncias na maior parte do traçado, ia-me sentido mais pujante de cada vez que me cruzava com os atletas participantes na Meia Maratona, pois o meu ritmo era mais elevado, o que dava maior força psicológica para ir continuando rumo à meta, zelando para não cometer erros que levassem a uma avaria mecânica, pois o terreno estava bastante molhado, enlameado e perigoso, fruto dos últimos dias de chuva intensa que assolara a região porém, a manhã estava até ao momento sem chuva. 

Com poucos atletas no horizonte, ia-me valente a força anímica transmitida pela Sara Lopes (AC BTT Fôjo), com a qual me ia revezando uma e outra vez, ora passando um, ora passando outra, sempre a puxar um pelo outro e incentivando com palavras de ânimo.  

Esta foi a primeira vez que participei nesta maratona com o título atualmente em vigor há 3 anos, mas já por mim conhecida de outras edições com outras designações, pelo que é sempre para mim um prazer e uma animação poder vir testar os percursos agora com organização a cargo dos amigos da equipa São Miguel Bike, que nunca decepcionam ninguém.


As paisagens foram sempre de excelência, com trilhos de montanha bastante desafiadores e desafiantes, singles e drops adrenalínicos, retões e descidas de cortar o fôlego, passagens e pontes originais e, acima de tudo, gente simpática ao longo de todo o percurso.

Como pontos negativos tenho a apontar as zonas de abastecimento terem-se apresentadas um pouco mal localizadas face à extensão do percurso - apesar de bem apetrechadas. De igual modo, a inexistência de picagens/controlos de passagem em pontos-chave, também foi uma situação a melhorar numa próxima edição. 

O percurso foi todo ele bastante interessante, com muitas zonas distintas e com passagens pelas zonas e locais mais pitorescos e dignos de visita nos arredores de Mação, como sejam aldeias, praias fluviais, ribeiras, etc... Foi bonito de se ver o enorme trabalho realizado pela Organização na abertura e limpeza de muitas centenas de metros de caminhos, construção de pontes em madeira e sinalização do percurso. Foi de lamentar não haver mais pessoal do staff ao longo dos percursos a captar fotos.

No final, os banhos foram disponibilizados na Escola existente próximo à meta onde se encontrava apenas uma mangueira ligada a uma torneira que por não ter máquina de pressão, não permitia limpar a fundo tanta lama que havíamos trazido dos imensos pinhais. A zona preparada para servir o almoço esteve ao rubro, muito animada e onde não faltou comida, nem bebida.

Antes e após o almoço, estiveram disponíveis mesas apetrechadas com o "petisco" da região, que é o presunto que deu nome ao evento, a que a maioria dos convivas não conseguiu resistir.

Os primeiros classificados têm nesta competição o seu esforço recompensado com a oferta de presuntos. No meu caso, não me calhou nada, mas fiquei feliz de ter conseguido chegar ao fim sem problemas, apesar do início atribulado. Convido todos a estarem presentes na próxima edição desta fabulosa maratona, sejam de perto ou de longe, vale muito a pena fazer 200 ou 300km para se participar neste evento e, garanto que ficarão surpreendidos pelas paisagens e percursos apresentados. Esta é sem dúvidas uma região que tem muito para oferecer e crescer a nível de eventos btt, pena é não ter mais imagens para com elas mais facilmente vos poder convencer. Até 2017! 

ÁLBUNS FOTOGRÁFICOS

Track da 3.ª Maratona D'Arrota a Presunto
» Percurso Maratona
» Percurso Meia Maratona


Créditos à reportagem
Texto: João Valério
Fotos: Carlos Marques, Miguel Ramos Fotografia, João Valério
Vídeo: Modo Vision

Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...