domingo, 28 de outubro de 2018

Participação da equipa (Mação)

Representação a cargo de:
60km - João Valério

 
A mudança de hora neste dia foi determinante para se poder descansar mais 1 hora, mas acima de tudo para o sol nascer mais cedo. Apesar da manhã solarenga, estava bastante frio relativamente à média que se verificou ao longo da semana e, à semelhança da maior parte dos demais, dei algumas pedaladas para tentar aquecer as pernas.

 
 
 
Arranquei num ritmo médio, enquanto lá ao fundo a cabeça do pelotão ia a todo o gás.
Os primeiros quilómetros serviram de aquecimento e foram percorridos sempre em pelotão. O frio foi-se dissipando mas foi suficiente para me deixarem os lábios gretados. A separação dos percursos ocorreu bastante cedo, sensivelmente ao km12 e só notei que voltassem a unir-se a cerca de 10km do final da prova.

 
Fui no meu ritmo com intenções de chegar ao final sem quaisquer problemas físicos, o que de certa forma aconteceu, porém as informações publicadas pela Organização estiveram aquém do que apurei, pois dos 55km marquei 58km e dos 980m D+ divulgados no Strava apurei 1.480m D+. Ora isto são números que trocam a logística a qualquer um e a mim principalmente, pois modero o meu esforço e alimentação/hidratação em função da informação veiculada pelas Organizações.

 
 
Ao longo de todo o percurso, que considerei exemplarmente bem marcado, todos os pontos ( km) para abastecimentos divulgados pelo speaker ante-partida confirmaram-se. Nos cruzamentos /entroncamentos rodoviários e algumas interseções no interior da floresta estiveram presentes GNR e Staff, dando aos participantes a devida segurança.

 
À semelhança de edições anteriores, o percurso foi física e tecnicamente elevado, com alguns rompe-pernas, inúmeros single-tracks, muita rocha laminada (xisto), diversas passagens por dentro de ribeiras, algumas delas sem hipóteses de passar montado... e que fria estava a água nos pés, circulação por dentro de bonitas e remotas aldeias, paisagens de suster a respiração e até medronhos a pender para o trilho que me levaram a parar para degustar.

Mais uma vez tive uma participação atribulada neste evento, o que já começa a ser irritante, senão vejamos, a corrente saiu-me 3x do prato pedaleiro para o interior e 2x da cassete para a roda, que no total me tomaram bastante tempo para repor a normalidade da transmissão. Ao km40 notei a roda traseira a fugir-me e confirmei tratar-se de um furo na roda traseira, substitui a camera de ar mas a válvula estava mal apertada e estive uns bons 20 minutos à briga com ela enchendo a camara umas 5x até que um simpático participante de nome Carlos Oliveira da equipa Kansastedepressabtt me emprestou um alicate e, finalmente, consegui apertar a válvula, encher o pneu e seguir caminho. Uns quilómetros adiante a roda da frente fez levantar uma pedra que me embateu abaixo do joelho direito e me deixou uns minutos a ganir.


Já a escassos 6km do final fui apanhado pelo pessoal das motos do fecho da prova que me "aconselharam" a seguir um atalho, para irmos todos almoçar mais cedo, mas não convenceram e consegui seguir até final pelo trilho marcado, tendo ainda ultrapassado alguns atletas e me livrado do último lugar.
O almoço esteve em grande, como sempre, não fosse novamente a falta de tabuleiros para levarmos todos os recipientes do almoço. Foi mais um ano em que a equipa São Miguel Bike esteve ao mais alto nível, com um percurso difícil mas de beleza ímpar, que eu nunca me canso de gabar. Até 2019!

Classificação parcial maratona
01.º - 02:55:58 - Ismael Graça (Associação 20km de Almeirim)
02.º - 03:00:19 - Dário Pereira (Róódinhas/Santos Silva)
03.º - 03:01:24 - António Marques (Transfor Fátima BTT)
49.º - 05:09:48 - João Valério (Clube de BTT Zona 55)
53.º - 05:12:38 - Último
Créditos à reportagem
Texto: João Valério
Fotos: Jorge Rabaça, Urbina Varela
Vídeo: Clube de BTT Zona 55


Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...